domingo, 12 de maio de 2013

O Leitor de Cadáveres

Autor: Antonio Garrido
Edição: 2013, Fevereiro
Páginas: 504
ISBN: 9789720043870
Editora: Porto Editora

Sinopse:
Um romance fascinante sobre o primeiro médico-legista da História
Na antiga China, só os juízes mais sagazes atingiam o cobiçado título de «leitores de cadáveres», uma elite de legistas encarregados de punir todos os crimes, por mais irresolúveis que parecessem. Cí Song foi o primeiro.
Inspirado numa personagem real, O Leitor de Cadáveres conta a história fascinante de um jovem de origem humilde que, com paixão e determinação, passa de coveiro nos Campos da Morte de Lin’an a discípulo da prestigiada Academia Ming. Aí, invejado pelos seus métodos pioneiros e perseguido pela justiça, desperta a curiosidade do próprio imperador, que o convoca para investigar os crimes atrozes que ameaçam aniquilar a corte imperial.
Um thriller histórico absorvente, minuciosamente documentado, onde a ambição e o ódio andam de mãos dadas com o amor e a morte, na exótica e faustosa China medieval.
Muito mais do que um romance histórico. Muito mais do que um romance de suspense. Muito mais do que um romance de aventuras.

A minha opinião:
Emocionante romance histórico. Uma epopeia empolgante e arrebatadora na antiga e exótica China. Uma complexa trama. Muito bom.
Provocou-me alguma ansiedade, o que diz muito sobre um livro, porque não conseguia parar de o ler. O título e as dimensões auguram um romance que pode ser mórbido ou maçador mas nada disso se verifica. 
Eu tenho dificuldade em encontrar adjectivos/elogios para o descrever que suscitem curiosidade ou interesse em outros de o procurar descobrir por si mesmos, mas vou tentar fazê-lo, inclusive com a ajuda do autor.  Este romance parte de uma premissa que muito me agrada. Inspirado numa personagem real e enquadrado num ambiente que foi alvo de estudo e análise para o contextualizar e assim fiel à realidade. 

O protagonista é fascinante. Um homem da Idade Média Asiática. A sua personalidade que tanto tem de racional como emocional e daí a sua impetuosidade e sagacidade que lhe permitiram resolver casos forenses que deixaram obra numa história apaixonante. 

Mas há todo um enquadramento sucintamente exposto no quotidiano do protagonista que cativa igualmente o leitor. A sociedade, a intriga e o devir da época. Assombra-nos as estritas normas de comportamento familiar onde para além do respeito aos mais velhos havia uma obediência inquestionável; os rituais; a omnipresença dos castigos físicos de uma extrema violência e tantos outros aspetos que surgem neste romance.

Uma característica ficcional do protagonista é a sua estranha doença, desde cedo revelada na trama. Uma patologia real, de insensibilidade à dor, calor e frio.  

Escrita fluída e ritmada numa sucessão de acontecimentos que prendem pelo talento criativo do autor.
Um romance que perdura na memória. Um imenso prazer de ler!

Sem comentários:

Enviar um comentário