sábado, 29 de dezembro de 2012

O funeral da nossa mãe

                                             

Autor: Célia Correia Loureiro
Edição: 2012, Outubro
Páginas: 437
ISBN: 9789898455482
Editora: Alfarroba
Sinopse:
Quando, aos 58 anos, Carolina Alves decide pôr termo à vida, deixa um pedido concreto às suas três filhas: que se reúnam na festa em honra da padroeira da vila e que recuperem os laços de sangue que as consagram irmãs. Luísa emigrou para Paris, decepcionada com a frieza da mãe; Cecília é pianista e vive num alheamento artístico constante e Inês refugiou-se na política para fugir à negligência da família.
Com a ajuda da tia Elisa, vão regressar aos campos de alfazema da infância e desvendar ao longo de quatro dias o passado inesperado de Carolina. Os seus erros, as suas fraquezas e, numa reviravolta inesperada, o acto vil que lhe permitiu prender a si há trinta e oito anos aquele que viria a ser o pai das suas filhas...
 
A minha opinião:
Um romance de emoções e afetos.
 
Já há algum tempo que descobri a alma lusa em inspirados e bem escritos romances de autores portugueses, contrariando assim o meu ceticismo e desconfiança sobre a capacidade e competência dos mesmos de me agradarem  com um romance que fica na memória. Claro que não me refiro aos conceituados e indiscútiveis autores da nossa literatura, mas a novos autores quase anónimos. Parabéns, este é mais um belissimo exemplo. Claro que sinto admiração e congratulo quem o consegue fazer tão bem.

Uma hisória de picos quando são revelados segredos do passado das personagens. Na sinopse, percepcionamos que se tratam dos segredos de Carolina desvendados com a sua morte e que deram origem à dificil relação afectiva dos pais, mas é muito mais do que isso. A  justificada aproximação das três irmãs e a convivência forçada por tão triste evento vai permitir exorcisar todos os fantasmas e avaliar tudo o que sabiam do passado conjunto e dos seus reais sentimentos. Uma catarse.
 
Analitica e muito descritiva dos ambientes, ideologias e caraterização das personagens é o que considero o ponto fraco desta leitura porque marca o ritmo como pausado (e não compulsivo como aprecio), até que uma nova revelação fosse apresentada ao leitor. Ainda assim, devido a uma boa conjugação de acção e  emoção, gostei muito deste romance. A empatia e proximidade com as personagens que "não são a história de ninguém mas serão certamente a história de alguém" tornam-na cativante e envolvente porque todos temos segredos e histórias a contar.

Sem comentários:

Enviar um comentário